domingo, 18 de novembro de 2007

Cena de Aeroporto

Ela
Morena, ciente de sua beleza. Alta e de coxas grossas usa uma saia provocante que deixa sua silhueta mais esguia em cima de sapatos plataforma com motivos tropicais. Os cabelos castanhos na altura dos ombros tem mechas claras e está liso para a ocasião. Os óculos escuros escondem seus olhos. De pernas cruzadas folheia uma revista displicentemente. Entre uma página e outra passa a mão pelos cabelos e vasculha o saguão do aeroporto com o olhar. Está sentada na poltrona ao meu lado. O que nos separa é sua bolsa marrom com detalhes dourados.

Ele
Moreno alto. Ombros largos e gingado no caminhar. O boné deixa à mostra só uma pequena parte dos cabelos curtos, mas ondulados. Os fios brancos não condizem com a idade que aparenta ter. Usa calça jeans justa e traz no pulso uma pulseira feita com linhas verdes. Na mão, um copo de Coca-cola com canudinho esconde a bebida alcólica que ele bebe em goles curtos e esporádicos. Os óculos, também escuros recobrem seus olhos.

De forma gaiata ele chega do lado da moça e pergunta se pode sentar-se ali. A permissão é dada então ele se joga na cadeira e escorrega bem à vontade até achar uma posição confortável.
- Marcelo. Muito prazer! - Ele se apresenta virando o rosto e estendendo a mão.
A moça retribui o gesto e diz sorrindo:
- Renata.
Ele sorri e dá um beijo na mão dela:
- Renatinha você é minha salvação.
Ela sem entender direito, reposiciona-se na poltrona, abandona a revista e pergunta mexendo os cabelos:
- Posso saber por que?
Quase que automaticamente ele coloca o rosto bem próximo ao dela e sussurra algo inaudível no ouvido da moça. Ela dá uma gargalhada jogando a cabeça para trás e em seguida mostra a aliança reluzente que traz na mão esquerda.
- Sou casada.
Ele faz um gesto de quem foi apunhalado no coração, sorri e diz não acreditar. Ela reforça:
- Sou casada há oito anos.

Quando ela sorri, ele, de supetão, pede um beijo. Ela levanta os óculos revelando um olhar bem sarcástico e diz não. Ele insiste, ela pega a bolsa do meu lado e sai dizendo que precisa ir ao banheiro.
O moço bebe um gole da bebida com um sorriso no canto dos lábios enquanto ela sai desfilando ciente de que todos os olhares masculinos a acompanham. Quando sai do banheiro, senta-se do outro lado do saguão de costas para o rapaz que parece não se importar com o gesto.

Neste exato momento meu estômago reclama e resolvo procurar algo para comer. Saio sorrindo comigo mesmo da cena que acabei de assistir. Ela foi ótima, penso com meus botões.
No vôo, depois de quase 4 horas a espera do avião para Goiânia me esqueço do casal e quase levo um susto quando, ao retornar do banheiro, vejo os dois no "maior amasso" numa das poltronas da frente da aeronave. Balanço a cabeça e sigo para meu lugar um pouco desanimado com a cena que acabei de presenciar. O meu desapontamento com o comportamento dos dois revela meu olhar estreito (antiquado?) ao lidar com o assunto. Não sei. Coloco o cinto de segurança e olho pela janela. Uma nuvem não me deixa enxergar mais nada. Fecho os olhos e adormeço inquieto.

Imagem capturada em: http://share.skype.com/sites/brasil/images/cancelados.jpg

Nenhum comentário: