terça-feira, 30 de agosto de 2011

DonAna

Desabusada
DonAna sentou na calçada para escolher os queijos.
- Quero 14! - pediu ao moço que havia oferecido as iguarias na porta da minha casa em Lagolândia. Selecionou cada um com o cuidado de quem já fabricou o produto por muito tempo e, quando questionada sobre a quantidade exagerada, respondeu:
- Pra "desabusar" o vendedor de queijos da feira lá em Goiânia! Mostrar pra ele o que é queijo de verdade!

Perna aberta
Estávamos no banco de trás do carro indo para Anápolis. Sentada no meio, entre mim e uma prima, DonAna remexia inquieta. De supetão arrancou o cinto feito com o mesmo tecido do vestido estampado e perguntou:
- Advinha o que vou fazer com isso?
Sem ter a mínima ideia desistimos de tentar advinhar e ela, enlaçando as pernas, explicou:
- Vou amarrar minhas pernas senão elas não páram quietas aqui no meio!
E seguiu tagarelando de pernas amarradas até o destino da viagem.

Caminhada
Toquei a campainha e ouvi, de dentro do apartamento, DonAna perguntar:
- Quem é?
- Sou eu, DonAna! O Wolney!
- Peraí que vou vestir uma roupa, pois estou só de calcinha fazendo caminhada pelo apartamento.

Giro
Encantada com o movimento circular que a máquina de lavar fazia, DonAna resolveu acompanhar a lavagem olhando fixamente para o giro das roupas. Acordou 5 minutos depois, ainda tonta pela movimentação que a fez desmaiar.

Dor na Coluna
A cadeira para ver televisão era de encosto reto e feita sob medida para ajudar com as dores na coluna. O problema era o cochilo que DonAna empreendia sempre que ia assistir a RedeVida. Acordava "emborcada" com o nariz entre os joelhos. Incomodada com a postura e zelando por seu sono, não teve dúvidas: amarrou uma meia calça velha na cabeça e prendeu na janela atrás da cadeira. Desse modo, a coluna ficava ereta, mesmo durante o sono diante da TV.

Maloca
DonAna chegou na porta do meu quarto e, diante da minha estante de livros e DVDs suspirou:
- Êeeeeeeeeeehhh maloca danada!

DonAna era minha tia-avó, destas que a gente perde e fica sempre com aquela vontade de ter um tempinho a mais para conviver, pois ao seu lado a vida era só alegria.

Foto: Wolney Fernandes

domingo, 28 de agosto de 2011

Mudança

Outro dia fui fazer minha mala e me senti em casa, como há tempos não acontecia. Quando não é possível mudar de casa, eu mudo de mim. Estou morando num Wolney de dois quartos agora.

Foto de Logan Cyrus.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Cantinho de guardar sentidos

Esta é minha 980ª postagem. Olho para este número e penso nas vinte que virão depois dela para que se complete mil instantes registrados aqui.

Antes, qualquer imagem, perfume ou rabisco que se alojava em mim eu guardava no blog. Agora, demoro mais para voltar neste espaço porque há outros lugares (leia-se: redes sociais) onde posso compartilhar com dois ou três cliques apenas, aquilo que me encanta cotidianamente.

Sensações diferenciadas me fazem encarar estas duas possibilidades. Na primeira, relacionada àquilo que mostro nas redes sociais, a impressão que tenho é que estou na janela do meu apartamento lançando imagens, canções, textos e pensamentos ao sabor do vento em uma rua movimentada. Umas vão... outras voltam em um movimento que se expande, mas nem sempre se aprofunda. Na segunda, aqui no blog, é como se guardasse preciosidades em uma caixinha que pode ser acessada sempre que eu desejar. Por ela, memórias são saboreadas e lembranças reativadas nesse meu cantinho de guardar sentidos.

Eu demoro porque não me obrigo a ter sempre algo para guardar. Afinal, toda obrigatoriedade acaba por tirar um pouquinho do sabor que a vida tem.

Foto: Wolney Fernandes

domingo, 14 de agosto de 2011

No fone

Motivação perfeita para uma postagem é o pedido de uma amiga para sugerir discos que eu estivesse ouvindo recentemente. Dois dias depois e aí está a lista com sete deles.

Uma banda
Bodies of Water
Disco - "Twist Again"
Faixa de bis - Like a Stranger

Uma cantora internacional
Russian Red
Disco - Fuerteventura
Faixa de bis - Everyday Everynight

Uma cantora nacional
Tiê
Disco - A Coruja e o Coração
Faixa de bis - Piscar o Olho

Um cantor
Ibrahim Ferrer
Disco - Mi Sueño
Faixa de bis - Melodia del Rio

Uma dupla
The Swell Season
Disco - Strick Joy
Faixa de bis - In These Arms

Uma trilha sonora
Half Nelson 
Faixa de bis -Can't You See

Bônus 
Cantor - Thurston Moore
Disco - Demolished Thoughts
Faixa de bis - Benediction

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

domingo, 7 de agosto de 2011

Há tanto tempo que te amo

Cinco atrizes francesas e meus filmes preferidos.

Audrey Tautou
Meu filme predileto: O fabuloso destino de Amélie Poulain

Marion Cotillard
Meu filme predileto: Piaf - Um Hino ao Amor

Julie Delpy
Meu filme predileto: Antes do Amanhecer

Juliette Binoche
Meu filme predileto: Cópia Fiel

Catherine Deneuve
Meu filme predileto: Indochina

sábado, 6 de agosto de 2011

Asas do Desejo

"Quando a criança era criança, andava balançando os braços. Desejava que o riacho fosse rio, que o rio fosse torrente e essa poça, o mar.
Quando a criança era criança, não sabia que era criança. Tudo era cheio de vida e a vida era uma só.
Quando a criança era criança, não tinha opinião, não tinha hábitos, sentava-se de pernas cruzadas, saía correndo, tinha um redemoinho no cabelo e não fazia poses para fotos."

Prólogo do filme "Asas do Desejo" (Wings of Desire, GER, 1987). Imagem capturada aqui.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Asas para Voar

"Fratura tripla da coluna vertebral, fratura da cravícula, fratura de duas costelas, luxação do ombro esquerdo, tripla fratura da bacia, perfuração do abdômen e da vagina, 11 fraturas na perna direita e deslocamento do pé direito."

Texto: Diagnóstico de Frida Kahlo após o acidente de 1925.
Imagem do Diário de Frida Kahlo.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Vontades

Os olhos de Frida Kahlo caçoam das minhas arrumações e remendos de organização no quarto. Do lado de fora, a vida volta à sua apressada normalidade. Do lado de dentro, só essa vontade de silêncio que os meus lábios não pronunciam. Tudo parece bem ao final das contas. "Agosto não será difícil", repito pelos cantos dos meus últimos textos. Então, o que explica essa vontade louca de sair daqui?

Foto: Wolney Fernandes