sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Silêncios

06h07 da manhã. A cidade acorda silenciosa e eu, silenciosamente, testemunho seu despertar. A janela traçada de linhas verticais e horizontais lembra uma prisão. A luz atravessa difusa e cobre parte da minha alma. Lá fora, um nevoeiro novinho em folha chega para encobrir metade do horizonte. Vontade de continuar assim: só silêncios.

03 de Maio de 2008
Imagem: Wolney Fernandes

Nenhum comentário: