sábado, 29 de dezembro de 2007

Sinceridade Sacana

Ainda preso aos meus devaneios tento aos poucos fincar os meus pés de leve no chão... De leve mesmo, porque como já disse Chico a gente vai sonhando, pois sem isso 'ninguém segura esse rojão'. Eu pelo menos não. Umas coisas estão bem concretas e visíveis e outras... É imaginação! Risos. Gosto muito de imaginar, não posso negar.

Fiz umas descobertas interessantes sobre mim nesses últimos tempos. Descobri que eu preciso de atenção. Nunca tinha visto isso em mim. Não sei ainda se gosto ou não dessa descoberta. Acho que não é tão ruim assim porque não é 'venha a mim tudo e ao outro nada'. Foi só uma observação.

Essa é uma das tantas coisas que gosto nesse processo duro de crescimento e/ou envelhecimento. Começo a saber de verdade o que me agrada e o que não. Sem receios, sem vergonhas. Talvez uma sinceridade sacana, não sei, mas quando é pra verbalizar, não ando economizando linhas.

Imagem: minha sombra projetada na parede do meu quarto em um final de tarde.

Nenhum comentário: