quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Sons das Estrelas

Meu primeiro texto de março vem sendo virado e revirado há dias. Começou como um simples desejo (como aquele que Pinóquio fez à Fada Azul) e acabou virando uma espécie de poema. Nessa viração toda aprendi que é tempo de viver a força plena dos instantes.

Preciso aprenderos sons das estrelas
e os gritos do mar.
Preciso aprendero múrmurio do sonho
e o sopro da tarde.
Preciso que a voz
não se cale em mim
e que a poesia
continue na estrada.
Não sei mais
o que o ruído
da noite quer mostrar.
Prefiro encostar-me
nas aparas do silêncio
e viver as estrelas

03 de março de 2008
Imagem: Uma das tantas que tenho pescado em minhas navegações. Fico devendo a origem.

Nenhum comentário: