sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Descobertas

Não muito longe estavam os pensamentos daquele garoto indefeso, ingênuo, que tentava se proteger do mundo sendo o filho exemplar, o garoto estudioso, o amigo presente e o rapaz religioso.

Mas os pensamentos vinham, e na maioria das vezes era possível fugir deles. O lugar mais seguro, o esconderijo, talvez fosse o mais óbvio, onde eles não o procurariam e talvez o deixariam em paz por alguns momentos. O garoto se escondia dentro de si mesmo, tão próximos dos pensamentos que nem desconfiavam onde ele estava, mesmo procurando por ele incansavelmente.

E como os pensamentos eram sedutores, como eram belos e ao mesmo tempo perigosos, uma vez neles, o garoto não sabia onde poderia parar, o que poderia enfrentar, talvez o mais certo fosse sonhar. Sonhar para que o medo ficasse infinitamente menor e mais fraco do que o sentimento que um dia o libertaria.

Imagem: Wolney Fernandes

Nenhum comentário: