segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Personagens Itinerantes

De dentro do ônibus, vejo a vida acontecer em seus pormenores:

Cena 01
O casal de namorados chora na hora da despedida. Ele embarca. Ela dá a volta para vê-lo pela janela do ônibus. Palavras de amor são balbuciadas no silêncio transparente que o vidro da janela constrói. Ela beija a aliança prateada que enfeita sua mão direita. O ônibus parte... Ela permanece imóvel, chorando na plataforma da rodoviária.

Cena 02
Um rapaz de 30 anos atravessa o país com a esposa e três filhos pequenos. A partida do Maranhão, na quinta-feira, só encontrará chegada em Santa Catarina, no domingo. A proposta de um salário de mil reais tira a jovem família de sua terra natal para inseri-la em uma região desconhecida. Ali, uma vida inteira cabe em duas malas, três sacolas e um sonho de felicidade.

Cena 03
O garotinho chora no colo do avô que sussura pacientemente um pedido de silêncio. O choro tem a distância que separa Goiânia de Minas Gerais.

Cena 04
A moça com a mala azul abraça o livro que carrega nos braços enquanto as lágrimas correm em seu rosto pálido. Ela olha o celular e seus olhos parecem não enxergar o que a diminuta tela lhe mostra. O mundo que a rodeia se esvai em imagens sem foco. Ela tira um envelope de dentro do livro e rasga, como se naquele gesto depositasse toda a raiva escondida no choro contido. Seu olhar contempla a madrugada. Decidida, ela adentra a escuridão da cidade empurrando a mala azul.

Imagem: Wolney Fernandes

Nenhum comentário: