quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Poema

"Hoje eu acordei com medo, mas não chorei
nem reclamei abrigo.
Do escuro eu via um infinito sem presente, passado ou futuro.
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim,
que não tem fim."

Cazuza/Frejat

Foto: Odailso Berté

Nenhum comentário: