domingo, 15 de março de 2009

Saudade de ver estrelas

Ando triste, pelos cantos, dormindo tarde e acordando mais tarde ainda. Passei a desligar o telefone para não ouvir sinal de vida lá fora. Depois de tantos dias de solidão, febre e envelhecimento, queria um gesto para restituir o homem que eu não encontro mais em mim.

Saudade de ver estrelas e até a ponta da lua da minha janela. Ando recolhendo restos de força pelos cantos da casa para refazer meu sorriso e meu olhar. E me permitir olhar não mais apenas para o passado, mas adiante.

Pareço voltar do ponto onde parti e daqui não percebo o entusiasmo que aplacaria tudo o que não coubesse num abraço longo e sôfrego. Como num golpe, as gigantes nuvens carregadas voltaram a espreitar meu desassossego. Mas guardo cada pequena delicadeza para que nelas sejam construídas minhas certezas. São elas que docemente me despertam a cada manhã.

Imagem: Wolney Fernandes

Nenhum comentário: