sábado, 25 de julho de 2009

Uma carta-poema

Mon Cher,

Quão grande é meu amor por você. Jamais pensei que pudesse me entregar de forma tão plena. Uma vida repleta de alegrias e de pequenos instantes inesquecíveis. Assim foi estar com você. Você tem plena consciência da dificuldade de quebrar um coração de pedra. Você conseguiu. Eu me rendi aos seus encantos e não me arrependo de forma alguma de cada momento ao seu lado.
Já não é de hoje que venho percebendo que algo está diferente. O encantamento não é mais o mesmo. Admito minha culpa e perdôo a sua. A vida é uma continuidade sem fim de ciclos. O nosso ciclo se acaba, mas outros surgem. Aceito resignado a separação. Não encaro isso como o fim. Tudo que vivemos ficará em nós dois.

Eu em você
No bolo de chocolate
Na dança
Nas divas negras
Nos perfumes amadeirados
No encontro de pés ao dormir
Na televisão da madrugada

Você em mim
Nas palavras afiadas
No pão de mel
Nas conversas sem fim ao telefone
Na pimenta
Nos sapos
No banho de chuva

Sigo a vida. Tenho sede dela. Refresque-se na sua.
Que nossos caminhos se cruzem na felicidade.

Fernando Lage
Estudante de Letras

Goiânia/GO

Nenhum comentário: