quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Em tardes de agosto

Releituras de mim mesmo são péssimas. No passar das páginas, sinto uma espécie de dor gloriosa. Odeio-me nas poucas virtudes e me perco na tentativa de me organizar e dar sentido a meus medos... tecer esse livro de mim. Enquanto isso, em janelas translúcidas com o laranja das tardes de agosto:

- Revejo minha autobiografia de folhas em branco. Como uma pequena caderneta, para você me anotar de ti.

- Invejo um casal de namorados que saiu da loja com celulares e sorrisos. Quantos minutos de ligações eles terão por mês?

Imagem: Wolney Fernandes

Um comentário: