domingo, 25 de outubro de 2009

Paisagens onde o tempo repousa

Quando, no abandono de uma casa semi-demolida, os olhos encontram paisagens onde a tempo repousa.
De dentro dela transbordam dores pelas alegrias vividas... mas ausentes.
Do lado de fora, o silêncio desnuda exteriores marcados por eternidades presentes.

Foto: Wolney Fernandes

2 comentários:

Walderes Brito disse...

Wolney, essa é a casa da minha vizinhança? Sabe que sinto um desconforto pelo fato da casa está medianamente demolida? É como se coisas íntimas fossem expostas à curiosidade pública... Bela imagem! Grande sensibilidade de captá-la!

Wolney Fernandes disse...

Sim, Walderes, é a casa semi-demolida ao lado do teu prédio. Por tantas vezes meu olhar atravessou aquelas meias paredes com vontade de registrar suas temporalidades, ao mesmo tempo eternas e efêmeras. Daqui a algum tempo, o que brotará daqueles destroços?