quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Com Deus

Trecho de "Persépolis" de Marjane Satrapi.

"No início era o nada. Não é nada fácil de imaginar. Você tem de esquecer o que existe hoje. [...] Para ver o início das coisas você tem de deixar muita coisa de lado, inclusive sua mãe. E o que sobra? Deus e eu. [...] Deus e eu não somos tanta coisa assim. Somos bem menos do que você pensa. Somos aquela brisa que sopra a noite inteira em torno da Terra. Somos uma chuva seca. [...] Só isso. Seja como for, no início, nos estávamos lá. Era o nada, mais Deus, mais eu - e dois banquinhos para a gente se sentar."

Do livro "A Criação" de Bart Moeyaert da CosacNaify

Tirinha do Laerte.

Nenhum comentário: