quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Com o que não dou conta

Querida Sofia,

Afloram em mim sentimentos variados: desejo de conversar com desconhecidos/as, medo de expressar minhas indignações mais pueris, euforias instantâneas, vontades de tatuagem, insatisfações de espelho... Não sei o motivo da confusão. Melhor é não saber o motivo e não iludir-me de que elaborações acerca deste emaranhado de sensações possam me tirar desse lugar de estranhamento que me encontro.

Lembrei de um tempo em que meu ofício era tentar ser outra pessoa e camuflar meus sentimentos. Antes, saber das minhas angústias era motivo suficiente para fechar os olhos e ignorá-las. Hoje, ainda gritam medos e buracos, mas a vontade é fazer um filme do olhar que me prende às minhas próprias ausências. Voar para longe com asas impulsionadas com o que não dou conta.

Quer voar comigo?
Beijos de sempre.
Wolney

Imagem capturada em http://jsexson.blogspot.com/2008/07/swooshing-angel-wings.html

Um comentário:

Ana Aitak disse...

que lindo demais, pra passar calado... abraços