quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Realidades possíveis

Depois da partida, chego em casa e percebo que falta um sorriso, uma brisa de cumplicidade, um compasso de dança, um verbo no infinitivo inventado e terminado em "ge"... Choro baixinho as ausências, mas recito amores-perfeitos que adornam sonhos distantes. E assim, em mim, florescem realidades possíveis.

Imagem: Wolney Fernandes