sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Sexta-feira 13

O dia amanheceu insistente e sem volta. No corpo, sentidos provisórios e parciais e no céu, as cores esmaecidas e cheias de nada, típicas do mês de agosto.

Sozinho, enquanto a luz preenchia o quarto, soletrei destinos possíveis e bordei, com olhos de ressaca, sorrisos, gestos, palavras e silêncios.

As dores de toda uma vida me cegaram esperando o momento limite para transbordar. Feito enchente que invade as ribanceiras, fui invadido pelo fluxo de meus erros... reeditados, insistentemente, enquanto minha vida durar.

Foto: Wolney Fernandes

Um comentário:

Gabi disse...

Que delicado e bonito! Adorei a foto, também.