sábado, 4 de setembro de 2010

De ilha e chiclete


Camisa xadrez, bolsa a tiracolo e montes de desenhos embaixo do braço. Corri para alcançar o prédio onde as crianças me aguardavam sentadas em sala de aula do Colégio Aplicação da UFG. A parede branca aguardava as imagens que me desenham e que me apresentariam a elas.

Apresentações formais não foram necessárias. A professora motivou e todos/as disseram em coro uníssimo: "WOLNEY FERNANDES". Enquanto inseria o CD com as 25 imagens de poeira, nuvens, paredes e flamboyants que eu levara, senti os olhos curiosos vasculharem cada gesto meu.

Toda imagem mostrada desenhava reações variadas nas palmas das pequenas mãos que se levantavam cheias de curiosidade. A professora, com cuidado e palmas, pedia para deixarem as perguntas para depois.

Por 15 minutos, falei de mim, do rio da minha cidade e dos desenhos elaborados com embalagem de chiclete em cada restinho de papel. Quando, finalmente, a fala foi dada à turma, saltaram as perguntas engolidas até então:

"Wolney Fernandes, o que é esse furo no seu queixo?"
"Qual a cor que você mais gosta?"
"Pra que time você torce?"
"O que você mais gosta de desenhar?"
"Quantos anos você tem?"
"Você consegue desenhar uma Ferrari?"
"Que herói você mais gosta?"
"Quantos desenhos você já fez?"
[...]

Curiosidades saciadas, uma pequena fila formou-se em meio à euforia que tomava conta deles e de mim. Cada um/a trazia um pedacinho de papel onde eu riscava, em 30 segundos, desenhos variados.

Na saída, depois da foto coletiva - com direito a braços no pescoço e "chifrinhos" feitos com os dedos - uma menina e um menino correram até mim, cada um deles com algo na mão. A menina, que parecia a menorzinha de todas, entregou-me a ilha com coqueiros que ilustra esta postagem acompanhada de um conselho:

"Pra você descansar quando estiver no meio do rio".

Sem que eu pudesse responder, ela correu para a sala e só deu tempo do menino entregar a embalgem de chiclete, que ele saboreava, com a seguinte indicação:

"Pra você usar no seu próximo desenho!".

Nenhum comentário: