terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Cruzada

- Saio correndo do trabalho tendo apenas cinco reais no bolso
- Chego no shopping Bougainville
- Me coloco na fila para sacar dinheiro no caixa automático do Banco do Brasil
- Descubro que a opção "saque" está indisponível
- Mudo para a fila do Banco 24h
- Descubro que o sistema está fora do ar
- Sigo para a fila da Caixa Econômica
- Descubro que o computador central está inoperante
- Subo até a bilheteria do cinema
- Descubro que eles não aceitam cartão
- Vomito toda minha indignação na atendente
- A moça atrás de mim, com pressa, me oferece dois reais
- Compro o ingresso
- Sigo até a lanchonete do cinema para comprar refrigerante
- Descubro que eles não aceitam cartão
- Caminho bufando entre as mesas da praça de alimentação até o Subway
- Descubro que a opção de compra com cartão está fora do ar
- Tenho a sensação de que estou vivendo em um século diferente do atual
- Vou até o Bob's e, milagrosamente, consigo comprar o refrigerante
- Entro para ver o filme
- Antes dos créditos iniciais, me lembro que na saída é preciso pagar o estacionamento
- Tenho vontade de rolar escada abaixo

3 comentários:

profalice2fm disse...

muitas vezes imagino como será o dia em que nosso mundo será desligado da tomada... eu mesma gosto muito da ideia. Mas, afinal, o filme foi bom? Se foi, nem tudo está perdido. Ainda.

Marchello disse...

Pode ser que tinha no fundo alguma intencionalidade no segredo da descoberta... E o que estava lá? Onde ser foi, e porque não deixar apenas sendo! Valeu descobrir que na fila tinha uma outra humana pronta para abrir-se? Sei não só sei que foi assim...

suzanne disse...

cenqas de um mundo pós-moderno... será?