sábado, 5 de maio de 2012

Agridoce


Percebo tantos defeitos ao olhar no espelho do outro - e tenho medo de faltar, de não ser bom o suficiente. De escancarar o coração e parar em lugares onde nada sei dizer, onde nada me faz sorrir [de novo!]. Mas no inquérito dos dias partilhados, as respostas são dadas pelas ações que ultrapassam a efemeridade das palavras. E isso me basta!

Tenho vontade de fazer planos, mas eles se diluem porque talvez eu queria mesmo é uma epifania, destas óbvias, brilhantes e simples. Mas apesar desse desejo, sei que a vida não é assim. Sei disso pelo afeto que me atravessa não apenas pelas vias do prazer, mas também pela racionalização dos movimentos cotidianos, suas sombras e por aquilo que não é dito.

Acredito numa espécie de fé: de que tudo irá se resolver. Mesmo sabendo que, às vezes, este caminho não seja de todo indolor. Tentam me convencer que vivo numa irrealidade otimista e que logo logo virá a vida cobrar o seu preço: desde as horas de estudo que estrategicamente negligencio enquanto vou ao cinema ou até percebendo que a consciência dos outros talvez seja muito mais estreita do que se prega.

Dizem que me iludo. Daí me questiono: será? O mundo é tão grande que não acredito que não exista um quinhão para eu ser feliz. Não exijo muito, acho. E se tudo der errado, sempre existe o fôlego pra recomeçar.

Tem dias que fecham assim, agridoces. No decorrer destes dias ando pé ante pé, silenciando a respiração e esperando que o que vem, o que será, aí sim, arrebentará em doçuras indizíveis.

Imagem capturada aqui.

2 comentários:

Ariane Galindo disse...

Por algum motivo que não consigo saber o porque, seu blog estava liberado para leitura na maquina do meu trabalho(enquanto todos os outros estão bloqueados).
Como nada acontece ao acaso, resolvi deixar um comentário!
Blog de qualidade, continue escrevendo sempre!

Beijo

Wolney Fernandes disse...

Prezada Ariane. Os mistérios da vida devem ser encarados assim: com a gente interagindo com eles sempre que eles se apresentam às nossas vistas. Fico contente que tenha gostado do blog. Volte sempre. É sempre muito bem vinda!