segunda-feira, 2 de março de 2015

A Vida na Hora - Poemas de Wislawa Szymborska


Porque afinal cada começo 
é só uma continuação
e o livro dos eventos 
está sempre aberto ao meio.

Os poemas de Wislawa Szymborska (pronuncia-se Vissuáva Chembórska) me fez vir aqui para escrever sobre um livro de poesia. Tarefa árdua e um tanto nova para alguém que, como eu, mergulha nos versos e, por vezes, não deseja (ou não consegue) mais emergir. Caso os parágrafos abaixo não façam sentido algum, peço desculpas porque daqui do meio dos versos a realidade parece bem mais assombrosa e repleta de fabulações.

Não há devassidão maior que o pensamento.

Sob o signo da simplicidade, os poemas de Wislawa dão conta das profundezas contidas nas coisas miúdas e daquilo que preenche os dias mais comuns. Seus versos carregam um frescor e uma alternância entre a dor e a beleza das experiências vividas. Conseguem estreitar laços entre o privado e o político e ainda possuem uma capacidade de questionar as dúvidas que rondam nossa capacidade de ordenar o mundo.

Sem apelar por nenhum tipo de sentimentalismo, a poeta nascida na Polônia e ganhadora do Nobel de Literatura orienta nosso olhar para o prosaico sob um ângulo inusitado. 

Comparada com as nuvens
a vida parece muito sólida,
quase perene, praticamente eterna.
[...]
Sobre a tua vida inteira
e a minha, ainda incompleta,
elas passam pomposas como sempre passaram.

Não têm obrigação de conosco findar.
Não precisam ser vistas para navegar.

Há traços de uma intensa preocupação com o gênero, pois a perspectiva de vários poemas são desenhadas para marcar um olhar feminino.

Vietnã
Mulher, como você se chama? – Não sei.
Quando você nasceu, de onde você vem? – Não sei.
Para que cavou uma toca na terra? – Não sei.
Desde quanto está aqui escondida? – Não sei.
Por que mordeu o meu dedo anular? – Não sei.
Não sabe que não vamos te fazer nenhum mal? – Não sei.
De que lado você está? – Não sei.
É a guerra, você tem que escolher. – Não sei.
Esses são teus filhos? – São.


Entre o peso dos temas e a leveza de sua escrita, residem a ironia e um olhar teatral para aquilo que nos move. A poesia de Wislawa coloca o foco na vida como se ela se movimentasse entre o palco e as coxias fazendo os sentidos transitarem entre lá e cá numa mistura visceral que pede licença para "que a felicidade não se ofenda por tomá-la como minha".

A Vida na Hora
A vida na hora.
Cena sem ensaio.
Corpo sem medida.
Cabeça sem reflexão.

Não sei o papel que desempenho.
Só sei que é meu, impermutável.

De que se trata a peça
devo adivinhar já em cena.

Despreparada para a honra de viver,
mal posso manter o ritmo que a peça impõe.
Improviso embora me repugne a improvisação.
Tropeço a cada passo no desconhecimento das coisas.
Meu jeito de ser cheira a província.
Meus instintos são amadorismo.
O pavor do palco, me explicando,
é tanto mais humilhante.
As circunstâncias atenuantes me parecem cruéis.

Não dá para retirar as palavras e os reflexos,
inacabada a contagem das estrelas,
o caráter como o casaco às pressas abotoado-eis os efeitos deploráveis desta urgência.

Se eu pudesse ao menos praticar uma quarta-feira
antes ou ao menos repetir uma quinta-feira outra vez!
Mas já se avisinha a sexta com um roteiro que não conheço.

Isto é justo-pergunto
(com a voz rouca
porque nem sequer me foi dado pigarrear
nos bastidores).

É ilusório pensar que esta é só uma prova rápida
feita em acomodações provisórias. Não.
De pé em meio à cena vejo como é sólida.
Me impressiona a precisão de cada acessório.
O palco giratório já opera há muito tempo.
Acenderam-se até as mais longínquas nebulosas.
Ah, não tenho dúvida de que é uma estreia.
E o que quer que eu faça,
vai se transformar para sempre naquilo que fiz.


Foto: Wolney Fernandes
Trechos dos poemas: Amor à primeira vista; Opinião sobre a pornografia; Nuvens; Sob uma estrela pequenina.

Um comentário:

Thyeri Bione disse...

Estou, a passos curtos, entrando no meio dos versos. Atualmente estou em meu segundo livro de poesias com Os Viventes, do Carlos Nejar. Fiquei encantando com tuas descrições e com a escrita da autora. Já coloquei o livro na minha lista de desejados. Quero que meus passos me levem à um bom mergulho.