quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Entrelivros


Tenho andado assim: entre livros, músicas e DVD's. Sempre me equilibrei entre fases distintas destas três categorias e agora estou situado (e até meio perdido) nas páginas dos livros. Explico: Debaixo do meu espírito consumista só há espaço para estes três itens: Se não são livros, são filmes ou música (se bem que as músicas eu ando "baixando" e já faz um tempão que não compro um CD) que devoram parte do meu orçamento mensal. O engraçado é que eu transito por períodos em que, se ando pela rua, só enxergo as livrarias, se entro nas lojas, vou direto nos livros e outros que só vejo DVD's na minha frente. E dá lhe lojas Americanas!

Mas esse preâmbulo todo é para mostrar quatro livros, minhas últimas aquisições:

1. Moda, roupa e tempo - Ronaldo Fraga
Os poemas do Drummond que o Ronaldo Fraga ilustrou ganharam uma edição caprichada, de caráter único, que parece ter sido produzida especialmente para uma única pessoa. Tem fita arrematando, tem papéis com texturas diferentes, tecidos e um jeito de desenhar como só o Ronaldo sabe.

2. Aula de Inglês - Ligya Bojunga
O mais novo livro da Ligya mostra um professor de Inglês (que também é fotógrafo) que se apaixona pela aluna e de como esse amor o ajuda a reencontrar suas lembranças de menino. Uma obra poética e com o jeito delicioso e espontâneo que a autora adora alinhavar suas narrativas.

3. Jardins - Roseana Murray e Roger Mello
O livro "infantil" traz poemas de Rosena Murray salpicados pela delicadeza dos traços de Roger Mello que recria um jardim de minuciosidades com suas ilustrações. A poesia de Roseana exige atuação do leitor, que completa e recria os silêncios da obra.

4. Cartas a D. - André Gorz
Sempre adorei livros de cartas. É um tipo de escrita tão íntima e pessoal que me deixa curioso. Tenho sempre aquela sensação de que estou adentrando a intimidade do/a outro/a e isso me excita. Cartaz a D. é um livro assim, excitante! A história real de um casal que viveu radicalmente um para o outro repassada numa inesquecível carta de amor. André e Dorine foram encontrados mortos, lado a lado, em setembro de 2007. A doença incurável da esposa fez os dois se suicidarem na esperança de viver uma vida só. Não por desespero, mas por entenderem que um não poderia viver sem o outro. O livro é o testemunho emocionado de uma relação amorosa construída passo a passo. Vejam o trecho abaixo:

"Você está para fazer oitenta e dois anos. Encolheu seis centímetros, não pesa mais do que quarente e cinco quilos e continua bela, graciosa e desejável. Já faz cinqüenta e oito anos que vivemos juntos, e eu amo você mais do que nunca. De novo, carrego no fundo do meu peito um vazio devorador que somente o calor do seu corpo contra o meu é capaz de preencher. (...) Eu vigio sua respiração, minha mão toca você. Nós desejaríamos não sobreviver um à morte do outro. Dissemo-nos sempre, por impossível que seja, que, se tivéssemos uma segunda vida, iríamos querer passá-la juntos."



25 de Abril de 2008
Imagem: Wolney Fernandes

Nenhum comentário: