sábado, 7 de maio de 2011

Os Fios de Vó Cecília
























Vó Cecília colhia algodão de dois pés que ela mesma havia plantado no quintal. Com a saia do vestido feito concha, entrava em casa carregando os frutos brancos. No desfiar dos dias, descaroçava, cardava, fiava no fuso de mão e enrolava a linha em novelos que ela guardava pendurados atrás da porta do quarto.

Pouco tempo antes de morrer, me chamou e disse que aquela penca de novelos tinha uma finalidade: se fazer pano para um corte de camisa para mim. Ela se foi e eu nunca soube que fim levou os fios que ela tecia com tanto zelo. Talvez por isso, todas as vezes que abro o guarda-roupa para pegar uma camisa, minha memória a alcança.

Foto: Wolney Fernandes

2 comentários:

sEgUinDo MinHAs TriLHaS disse...

Os novelos se fizeram memórias boas, tecidos em cada camisa que tiramos dos guarda-roupas de cada um de nós. Bom post, parabens!!

Marcos Vinícius Ramos de Carvalho disse...

Compartilho contigo, além de muitas outras coisas, o amor ao algodão.