segunda-feira, 12 de março de 2012

Espera


De frente para a parede eu era rei absoluto daquele império bege. 114 era o número de azulejos daquela sala. Terminei de contar, mas ninguém veio me parabenizar pela proeza. Ningúem conseguiu contar quanto tempo durou aquela espera. Só sei que foi o tempo necessário para perder a conta.

Em minhas divagações, azulejos inauguraram exercícios íntimos de criação.


Imagem capturada aqui.

Nenhum comentário: