terça-feira, 15 de maio de 2012

Passageiro do fim do dia*


Nota falsa
Peço um vale transporte com duas viagens e pago com uma nota de cinco reais. Minutos depois o vendedor me interpela com cara de bravo, estendendo a nota em minha direção, diz: "Essa nota é falsa. Essa não aceito, não!" Calmamente eu pego a nota de volta e finjo trocar por outra na carteira. Sem perceber que lhe devolvi a mesma nota de antes, ele dobra os cinco reais e guarda no bolso todo satisfeito.

Educação
O ônibus pára e uma mulher corre da esquina até a porta do veículo. Sem fôlego, mas muito educada pergunta ao motorista: "Será que eu posso entrar?"

Sobre garotas
No banco detrás, dois adolescentes com pouco mais de doze anos conversam sobre garotas. Um deles cita uma menina nova que o amigo não conhece ao passo que esse pergunta: "E ela é bonita?". O garoto pensa um pouco e responde: "Comestível".

A Torta
A mulher sobe com dificuldade os degraus e se esgueira entre as pessoas para chegar à catraca. Em uma das mãos, um embrulho parece lhe tirar o equilíbrio. Ao conseguir dar dois passos em direção a uma cadeira desocupada, o ônibus freia bruscamente e o embrulho vai ao chão revelando seu conteúdo: uma torta doce que se despedaça corredor afora.

A pé
Apressado, subo no ônibus e respiro aliviado por conseguir um lugar vago para a viagem. O veículo dá a volta na Praça Cívica e não entra na avenida que eu achei que ele fosse virar. Puto de raiva, desço no ponto seguinte e resolvo ir a pé para o trabalho.

[*] Título emprestado do ótimo livro de Rubens Figueiredo
Imagem: recorte da capa do livro "Passageiro do Fim do Dia"

Nenhum comentário: