sábado, 7 de julho de 2012

Diário de um Coração Vazio - Primeiro Dia


"De novo aqui, miúdo território civil,
sem sonhos."

O primeiro é o pior dos dias. O pensamento navega em looping e o coração, partido, se recusa a derramar realidades que ele cultiva. Dói descobrir que o amor não redime no final. Fere perceber que talvez a redenção completa não aconteça.

A maturidade, tão celebrada em frases de efeito, é a primeira a fugir do peito. Ficam para trás a poesia concreta dos toques, a deselegância discreta em saber onde o prazer reside, nada do branco que circunda um bocado de beleza.

"Não senti sua falta." é a frase que atravessa as artérias feito adaga fria e cortante.

O coração sangra sem esperança. Talvez felicidade seja uma vida anestesiante, sem muitos arroubos. Talvez...

"É sempre no passado aquele orgasmo, 
é sempre no presente aquele duplo,
é sempre no futuro aquele pânico.
E sempre no meu sempre a mesma ausência."

Anotações do dia 30/06/2012
Imagem: Wolney Fernandes
Versos de Drummond

Nenhum comentário: