quinta-feira, 26 de julho de 2012

Os abacates de Vô Elias


Não sei dizer aconchegos do colo de vô Elias. Ainda menino, pedia a bença e ele respondia sem fazer afagos. Da sua imagem, os olhos claros eu sempre quis herdar. Da sua serenidade, meu pai se encarregava de noticiar.

Minha orfandade trouxe pactos silenciosos entre meu avô e eu. Desde então, sua presença se fez diálogo, afago e carinho. Vô Elias chegando lá em casa com os braços cheios de abacates para os netos, órfãos de pai, ainda é uma das memórias que mais aquecem meu coração.

Imagem: Wolney Fernandes

Um comentário:

Vanessa Souza Moraes disse...

Os pactos silenciosos são os mais fortes.