domingo, 26 de agosto de 2012

Eu quero ter um milhão de amigos*


Atualmente, 844 é o número de amigos que tenho no facebook e, amiúde, tem sempre alguém que se espanta com esse número. É claro que o espanto vem sempre seguido daquele discurso da seleção [nem tão natural assim. Te cuida, Darwin!] que as pessoas, mesmo sendo parte da rede, insistem em proclamar: "só adiciono quem eu conheço" ou mesmo "sou muito seletivo e só tenho no facebook as pessoas com as quais eu interajo na vida real"... hã?

Os mais radicais [segura essa!] promovem "festivais de unfollow" e se dedicam por horas a fio ao ato soberano de dar um "block" em quem não está interagindo [entenda por interação "curtir"e ou "comentar"] suas postagens. Interajo na medida que vejo e, as vezes, nem é preciso dar um like para que a interação aconteça. 

Por que essa nossa mania besta de querer transferir para as redes sociais as estruturas da vida real? Talvez quem pense assim tenha se esquecido de que a vida é descabida por natureza e, por isso, não cabe em lugar nenhum. No facebook, muito menos! Lá eu quero mesmo é ver e fazer o que nem sempre é possível do lado de cá da tela.

Quero mergulhar, encontrar e ser encontrado nesse mar de gentes. Espalhar pensamentos meus como quem joga papéis pela janela, poder falar com pessoas que moram do outro lado do mundo e brincar de viagem no tempo proporcionada pelos fusos horários mais variados. Quero ver paisagens da Tailândia, colecionar imagens de calendários antigos e me emocionar com frases prontas da Clarice Lispector. E se para tanto eu precisar de um milhão de amigos [Te cuida, Roberto Carlos!], que seja!

[*] Título retirado da música do Roberto Carlos.
Imagem capturada aqui

4 comentários:

Rita Pacheco disse...

E Eu quero ter um milhão de amigos no meu blog...haha
Estou começando!
Curti seu blog e vou te seguir!
Apareça no meu.
Bj
RITA
www.olharesedetalhes.blogspot.com

Thiago Dantas disse...

:DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD

Cláudia Bastos disse...

Querido poeta Wolney, se não fosse a distância física, seríamos amigos tb na real (seria tão bom dar gargalhadas com vc, chorar em seu ombro e te abraçar forte quando nos encontrássemos), mas agradeço a esse mundinho virtual por poder conhecer gente como vc! Bjs e de acordo!

Nina disse...

Nunca me preocupei com números, pelo contrário. Devo ter poucos, mas bons amigos, e me satisfaço. Não é o seu caso, mas vejo pessoas e mais pessoas nas redes sociais supérfluas divulgando estatísticas desnecessárias. Até quando?