terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Exorcismo


Meus olhos estacionaram na simultaneidade do dia e da noite contida na obra L’Empire dês Lumières de René Magritte. Será dia? Será noite? Quem estará em casa? 

A luz natural e a luz artificial estão presentes como se a noite e o dia tivessem deixado de se esconder um do outro, simultaneamente revelados nesta imagem que parece ter vida dupla. Apesar de tanta luz, há algo de incômodo na temperatura da paisagem. Um arrepio, sei lá... Talvez a descoberta de que, mesmo abrindo a porta à luz, não conseguimos expulsar os nossos demônios.

Um comentário:

A Letra Escargot disse...

Procurando resenhas de Os Mil Outonos do David Mitchell, caí no seu blog. Que lugar!! Parabéns.
Sobrevoei alguns anos de postagens e essa aqui foi iluminadora. Acho que nunca tinha visto esse quadro do Magritte, mas ver com seus olhos é que foi demais.
O que me fez lembrar de uma postagem boa do Odyr lá no medium dele, falando de um quadro do Bruegel:

https://medium.com/@Odyr/tudo-importa-3ec122cf4ea0#.pq75b4eyr

:)