quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

De acordo com a própria vontade


O coração é uma máquina de fazer vontades que precisa voltar à fonte das alegrias infinitas. O passado dorme no presente e, às vezes, lembra-se de acordar. A memória é a maior das nossas teimosias.

Já fui de pedra e agora sou de carne e osso. E o peixe que carrego no braço nunca mais vai se esquivar. Tal como o meu sorriso.


Imagem: Wolney Fernandes
Colagem disponível na Plus Galeria

Nenhum comentário: