segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Intervalo

Cá pra nós, eu acredito ser o intervalo entre peixe e pássaro. Meus sonhos de voar, por vezes, tem a profundidade e a pressão típicas dos oceanos. Se me falta o ar, bato as asas sem pensar. Se começo falando de céu, termino falando de mar.


Desenho: Wolney Fernandes

4 comentários:

Agno disse...

talvez isso revele a sua imensa capacidade de reinventar a vida, seu modo de lidar com altos baixos, imanência e transcendência como faces da mesma moeda...

Bloguinho da Zizi disse...

Lindo, simplesmente...

Odailso Berté disse...

Típico:
De quem faz de 8, 80; do dia, noite; do preto, branco, num piscar de olhos.
De quem transmuta a realidade fazendo saltar aos olhos dados e feitos inesperados, surpreendendo e deixando em sobressalto as seguranças.
De quem consegue ser e não ser com a mesma aparência.

Rocelio disse...

É está nas extremidades (céu e mar) é o passo para se chegar ao perfeito equilibrio, entre esses dois extremos, no entanto, sentir-se peixe, sentir-me passaro é está todo e completo no que se permite viver...