sábado, 17 de março de 2012

Dezessete de março de 2012 - Sábado


O sábado começou mesmo perto das 21 horas quando um passeio no parque se transformou em um piquenique noturno. Sob as estrelas os [re]conhecimentos pareciam habitar a pele feito tatuagem. Iguais a meninos de quintal, brincamos de lembrar as delícias de antes e as misturamos com os sabores de agora.

Na saída, silenciosamente, me veio a consciência que carinho bom é o carinho de agora, aquele que se leva ao cinema e suporta toda a exaustão de um dia de trabalho, que ri do comportamento mais habitual que passaria despercebido em olhares menos atentos, que vem para nos redimir, retornar, remoçar e mostrar o caminho mais curto para a felicidade... daquela que rima com simplicidade.

Imagem capturada aqui.

Nenhum comentário: