quarta-feira, 23 de maio de 2012

Prece pelos contornos de uma nuca


Nesta semana matei minha vontade de assistir "Asas do Desejo" do Wim Wenders no cinema. Na sala escura, enquanto o calor de uma mão me aquecia, repeti baixinho a seguinte prece:

"Às vezes me canso dessa existência espiritual. Não quero pairar para sempre. Quero sentir um certo peso que ponha fim à falta de limite e me prenda ao chão.

Eu gostaria de dizer 'agora' a cada passo, a cada rajada de vento. 'Agora' e não mais para sempre e eternamente.

Ter febre, dedos pretos por causa do jornal. Não vibrar apenas pelo espírito, mas por uma refeição, pelos contornos de uma nuca, de uma orelha.

Sentir os ossos se movendo enquanto caminho. Supor em vez de saber sempre.

Poder dizer 'ah!', 'oh!' em vez de 'sim' e 'amém!'. Poder me empolgar com o mal, atrair todos os demônios da terra e sair pelo mundo".

Trechos do filme "Asas do Desejo" (Der Himmel über Berlin, ALE, 1987)
Imagem capturada aqui.

Nenhum comentário: