sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Amarelos despencados e amores perfeitos


Atravessei a Avenida Anhanguera no meio da tarde. Calor, tumulto, pressa, buzinas e ipês. Sim, uma fileira abusadamente florida. Parei. Olhei o céu e a calçada, ambos salpicados de amarelo. Tão bonita a cadência das flores que caíam desenhando no ar uma canção silenciosa.

Minhas vistas só decifraram isso daquele amarelo despencado, mas havia um sentimento fortuito tão gostoso de sentir que nem sei...

Fiquei pensando que se o mundo tem um manual, essa parte deve estar lá nas letrinhas miúdas do rodapé, daquelas que pouca gente lê.

Será que é nessa parte que também estão as considerações sobre os amores perfeitos?

Voltei pra casa decidido a encontrar uma lupa!

Imagem: Wolney Fernandes

Nenhum comentário: