quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Esconderijos do Tempo - Memórias Literárias 1


Dia desses, mapeando os primeiros livros que eu li quando criança, tive vontade de ler todos eles nas edições antigas. Um jeito de trazer o passado para o presente e levar o presente para brincar no passado.

Ali pelos nove anos, os gibis já não eram suficientes e minha vontade de leitura encontrou outros caminhos com a chegada da Ciranda de Livros na escola da minha cidadezinha. A possibilidade de levar o livro comigo pra casa parecia fundada naquela felicidade clandestina que Clarice Lispector descreveu: "Peguei o livro. Não, não saí pulando como sempre. Saí andando bem devagar. Sei que segurava o livro grosso com as duas mãos, comprimindo-o contra o peito. Quanto tempo levei até chegar em casa, também pouco importa. Meu peito estava quente, meu coração pensativo."

Três livros me marcaram bastante neste período:
1. O Menino Maluquinho - Ziraldo
2. A Bolsa Amarela - Lygia Bojunga Nunes
3. Caçadas de Pedrinho - Monteiro Lobato

Em casa não havia dinheiro para se gastar com livros. Desse modo, os poucos que eu conseguia comprar eram lidos e relidos à exaustão. E desse período, alguns títulos do Círculo do Livro me acompanharam por muito tempo:
4. Heidi - Johanna Spyri
5. Outra vez Heidi - Johanna Spyri
6. Uma História de Amor - Carlos Heitor Cony

Os dois últimos títulos que compõem essa cartografia de memórias literárias eu consegui porque amigos me emprestaram. Foram esses dois títulos que me conduziram à adolescência:
7. A Montanha Encantada - Maria José Duplé
8. O Caso da Borboleta Atíria - Lúcia Machado de Almeida

À partir daí, meu pequeno mundo nunca mais foi o mesmo. Meus olhos já queriam saber o que havia do outro lado do rio e minha vontade já não cabia nos limites do meu povoado. "Não era mais um menino com um livro", era um homem com vontade de céu!

E você? Quais os livros marcaram sua infância? Que lembranças eles carregam em suas páginas?

Imagem: Wolney Fernandes

Um comentário:

Julyana B. disse...

A Montanha Encantada foi o primeiro livro que li sozinha na vida. Nunca tive coragem de reler com medo de perder todo o encanto que ele me deixou.